Maricá/RJ,

Velha Estação

Nada mudou na histórica estação,
Onde passavam trens, trens de madeira:
O muro, a tenda, o torniquete, o chão...
Testemunhas da vida rotineira.

Apenas, em lugar da confusão,
Da turba alvoroçada e faladeira,
Uma profunda e triste solidão
Geme na plataforma a tarde inteira.

O capim já se avulta lado a lado,
Num cheiro inconfundível de passado,
Símbolo de esquecida realidade.

Agora, apenas a ilusão mesquinha
Sob a forma da tosca estaçãozinha,
Conservada no signo da saudade.

Renato Aquino - Professor de Língua Portuguesa/Gramática.
Maricá/ Rio de Janeiro.

0 deixe seu comentário aqui:

Visitantes recentes

Comentários recentes

Notícias

  © Template 'Kilombo Cultural' by Patrícia Custódio

Back to TOP