Maricá/RJ,

África de todas as cores, sons e... sabores


PRECONCEITO

"Homem sorrindo", de Gerard Bhengu


A “história de um homem é sempre mal contada. Porque a pessoa é, em todo o tempo, ainda nascente. Ninguém segue uma única vida, todos se multiplicam em diversos e transmutáveis homens”. (Mia Couto, em Cada homem é uma raça – Ed. Caminho - 1990). Entretanto, a cada vez que lançamos o olhar sobre outros povos, principalmente aqueles que conhecemos muito pouco, temos a tendência de compara-los com a nossa própria cultura e também de usar, sobre eles, lentes voltadas as culturas norteamericana e europeias e, então, julga-los bárbaros ou medíocres porque não correspondem ao nosso ideal. Para isso há um nome: preconceito. Não aprendemos ainda a olhar o outro com vontade de compreender, aprender e apreender sua cultura e sabedoria.

A falta de um mínimo de conhecimento é tão grande que encontramos quem diga e, muito pior, escreva e publique que “A África é um pais....” e o restante da frase recuso-me a transcrever de tão absurda. Impossível absurdo maior? Não, não é. Encontramos também a “pérola” de grafar “áfrica”, assim mesmo, com letra minúscula em total desprezo por suas culturas milenares.

A África, continente formado pelos paises Marrocos, Argélia, Líbia, Egito, Mauritânia, Senegal, Gâmbia, Guiné Bissau, Serra Leoa, Libéria, Costa do Marfim, Maly, Burkina Faso, Gana, Togo, Benim, Níger, Chade, Sudão, Etiópia, Nigéria, Camarões, República Centro-Africana, Gabão, Congo, República Democrática do Congo, Uganda, Quênia, Somália, Tanzânia, Angola, Zâmbia, Malawi, Moçambique, Zimbabwe, Namíbia, Botsuana, África do Sul, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial, Cabo Verde e República de Madagascar (perdoem-me os africanos e os geógrafos se esqueci de mencionar algum) é muito mais que a “terra de onde vieram os negros”. É o berço da humanidade. Seus povos chegaram ao uso do ferro sem, sequer, passarem pela idade do bronze, ao contrário dos europeus. É possuidora de inúmeros e valiosos saberes. Por tudo isso e muito mais, a mama África merece todo nosso respeito e admiração.
Uazedíua mama Áfrika! (Abençoada mãe África!).


Nádia P.Chaia (Sidewí)

0 deixe seu comentário aqui:

Visitantes recentes

Comentários recentes

Notícias

  © Template 'Kilombo Cultural' by Patrícia Custódio

Back to TOP